Histórias em Inglês

Algumas das histórias são apresentadas também em Inglês num trabalho de articulação com a professora de Inglês Maria João César (professora das AECS na EB do Lamaceiro no ano de 2011/2012)


Seguidores

seguir o blog por email

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O Gato Matreiro


Era uma vez, na terra dos animais, um gato muito matreiro. Tinha a mania de pregar partidas a todas as pessoas que encontrava. Mas as pessoas que já o conheciam, sempre que o viam, fugiam a sete pés.

Certo dia passou por lá uma pessoa de outra terra que não conhecia o gato. A senhora fez-lhe uma festinha e ofereceu-lhe um biscoito. O gato aproveitou e saltou-lhe para o pescoço e, nem imaginam o que aconteceu. O malandro do gato fez-lhe xixi pelo pescoço abaixo. A senhora, muito aflita, desatou a correr, a correr, e o gato cada vez mais se agarrava ao pescoço com medo de cair. E neste corre que corre, a senhora chegou a casa. O homem assim que a viu e depois de ela lhe contar tudo, pegou no gato, sem medo dele, e colocou-o na banheira cheia de água. O gato aflito e confuso, agarrou-se à cortina da casa de banho. A cortina caiu por cima dele, e ele, desesperado, começou a correr, passou à sala, da sala saltou pela janela e na rua lá continuou a fugir. Toda a gente ficava pasmada porque o que se via era uma cortina de casa de banho a fugir pela rua fora.

E de boca aberta, as pessoas diziam:

-Parece bruxedo, parece bruxedo!...

Mas nós bem sabemos que era um gato a fugir cheio de medo.

~FIM~

terça-feira, 9 de outubro de 2012


O arco-íris mágico

Era uma vez um porquinho da Índia que sonhava ver um arco-íris.

Um dia tanto cismou que aconteceu um milagre, uma magia. De um momento para o outro, apareceu um magnífico arco-íris no céu. O porquinho da Índia ficou maravilhado:

- Que lindo arco-íris! Deve ter vindo de outro mundo!

De repente ouviu-se uma voz:

- Sou um arco-íris e…

O porquinho não o deixou acabar a frase:

- Já estava maravilhado por ver um arco-íris, agora, ainda por cima, um arco-íris que fala. Isto parece magia!

O porquinho da Índia estava confuso e ao mesmo tempo fascinado. Nem queria acreditar que estava mesmo a ver um arco-íris. E passou horas, assim fascinado e confuso a contemplar o arco-íris. Subitamente aconteceu uma coisa espantosa. O arco-íris fez uma magia e o porquinho da Índia transformou-se num menino de verdade.

Ficou tão alegre e feliz que foi fazer novos amigos e viveu feliz para sempre.

 

                                                                                  Bárbara Carvalho (4.ºano) e Ana Carolina (3.º ano) do Centro Escolar Amadeo de Souza-cardoso


quarta-feira, 30 de maio de 2012


O bosque encantado
Era uma vez uma menina muito linda chamada Paula. Paula morava com seu pai em uma casinha pobre e o seu maior sonho era viajar mundo a fora! Seu pai tinha uma doença muito grave e Paula fazia de tudo para vê-lo bem.
Os anos se passavam e o estado de seu pai piorava a cada dia mais. Um dia ele chamou Paula em seu quarto e disse:
      - Minha filha, meu estado de saúde não está nada bem. Acho que logo logo irei parti...  Paula chorava muito e disse:
- O papai não me deixe, eu te amo tanto e não saberia viver aqui sozinha. Eu irei até o fim do mundo para que você se salve.
    - Minha filha, o remédio para me curar fica muito longe daqui no bosque encantado e só uma fada poderia te ajudar a chegar até lá.  Eu não gostaria que corresse esse risco por mim - Respondeu seu pai.   
Mas Paula muito insistente disse:
- Pois eu vou procurar esse remédio para você.
  E naquela noite quando seu pai já estava dormindo, Paula saiu com sua malinha atrás do remédio para curar seu pai. Levou um agasalho, uma água e um pedaço de pão para comer no caminho e lá começou a sua jornada. Passou por vários lugares e perguntava a todos onde ficava o bosque encantado, mas ninguém sabia lhe responder. Cansada e já com fome e sede, Paula pára e deita perto de uma árvore para descansar. Não conseguia conter o choro. “– Meu bom Deus será que não encontrarei esse remédio para meu pai? E nem essa boa fada para me ajudar?” - E ali se lamentando caiu no sono e dormiu. Acordou assustada com uma bela moça mexendo em seus cabelos. Seus olhos eram azuis como o mar e seus cabelos brancos como a neve! Seu vestido era bordado com diamantes e seu sorriso era brilhante como a luz do sol. Paula ficou parada admirando aquela bela moça.
– Oi bela mocinha, está assustada? –perguntou a moça.
- Quem é você? Perguntou Paula.
- Eu sou a fada Lili e você quem é?
- Eu sou Paula. E estou procurando pelo bosque encantado.
- Nossa, o que uma mocinha como você vai fazer lá no bosque encantado?
- É porque meu pai está doente e eu preciso muito de uma planta que o salvará e só nesse bosque eu a encontrarei.
- Nossa, você é muito corajosa e por ser tão boa com seu pai eu te lavarei a este bosque.
  E lá se foram Paula e Lili, a fada, que a ajudaria salvar o seu pai. Caminharam por longos dias, conheceram vários animaizinhos na floresta, plantas de todas as cores presenciaram o pôr do sol enfrentaram tempestades e em um belo dia chegaram ao seu destino final.
- Paula, chegamos é aqui o bosque encantado, mas eu não poderei entrar com você. Você deve entrar sozinha e procurar pela planta, mas você tem pouco tempo porque ao cair da noite a planta murcha e você só pode entra uma vez no bosque.Terá que ser sábia e solidária, terá que enfrentar seus medos com fé e com esperança e nunca desistir -disse a fada.
 E lá se foi Paula entrando bosque adentro. Ao entrar ficou encantada. O bosque era lindo, cheio de flores, animais, frutos e era muito colorido. Foi adentrando mais e começou a ouvir um gemido e o som do gemido ia só chegando mais perto.
– Olá, tem alguém ai?-perguntou Paula.
Mas ninguém respondeu.
–Olá,  tem alguém ai?
E nada! Foi chegando mais perto e viu um leão, pensou em correr, mas o leão disse:
 - Me ajude por favor? Esta pedra caiu en cima da minha pata e está doendo muito. Será que você poderia me ajudar?
 Paula foi tentar ajudá-lo, mas a pedra era muito pesada e ela não conseguia retirá-la e cada vez mais o leão gemia de dor. O sol já estava se pondo e Paula se lembrou das palavras da fada – “você deve ser rápida porque ao entardecer a planta murcha e você só poderá entrar uma vez no bosque.”
  Mas o leão não se agüentava mais de dor. Ele já estava quase morrendo. Paula juntou toda a sua força e toda a sua coragem e com muita fé conseguiu retirar a pedra de cima da pata do leão. O leão ficou muito agradecido e perguntou:
 - O que você faz aqui bela mocinha?
- Estou procurando uma planta que irá curar o meu pai, mas o bosque é muito grande e o sol já está se pondo. Acho que nunca irei conseguir pegá-la.
- Por você ter sido tão boa para mim, eu pegarei a planta para você antes que o sol se ponha.
 Dito e feito.
 O leão pegou a planta milagrosa para Paula e esta foi toda feliz com a fada e o seu novo amigo leão entregar a planta para seu pai. Ele foi curado e hoje vivem felizes no bosque encantado!
Isabel fernandes (autora brasileira)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Fim-de-semana espetacular




Era uma vez uma menina chamada Rita.
A Rita, nunca, mas nunca ia para a cama sem se despedir dos seus animais.
A Rita dizia:
-Boa noite, vaquinha Mú, Mú . Adeus coelhos Brincalhões. Até amanhã galinhas Tolas. E adeus porquinhos Pig.
-Filha, anda dormir, ainda não tens o pijama vestido e ainda não te lavaste.
-Está bem, eu vou para a cama . Mas olha, eu era capaz de ficar a pé a noite toda.
-Acredito que sim!!!
 No outro dia, a mãe e o pai da Rita levantaram-se muito cedo, às cinco horas da manhã, porque   iam viajar para os Açores durante o fim de semana inteiro.
Quando a Rita acordou, surpreendida, disse:
- Uau! Mas para onde é que vamos?
- Vamos viajar para os Açores durante o fim de semana inteiro. Vá, agora vai fazer a mala.! Eu vou só preparar um lanche para a viagem e já te vou ajudar.
- Mas e os meus animais, eu não posso sair de casa sem os meus animais.
- Não te preocupes. Nós tratámos de tudo. Comprámos uma jaula grande, com rodas,  e prendemo-la ao carro. Assim, todos os animais podem ir.
E assim foi. Eles foram passar férias aos Açores e mais os animais


Marta Cerqueira - EB1 do Lamaceiro - Telões _ Amarante - 2012

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O meu gatinho

O meu gatinho é muito bonito. Eu dei-lhe o nome de Mickey porque gosto muito desse nome.
Ele é muito malandro. Quando a porta da cozinha está aberta, ele entra e, se não estiver lá ninguém, salta acima do fogão, onde a minha mãe guarda a comida dele. E põe-se a comer.
Às vezes, entra pela  janela,  e mete-se dentro do meu guarda vestidos. E depois, põe-se a remexer na  caixa das meias.
Mas eu gostava também de ter uma gata e um cavalo.
Bem, não se pode ter tudo!!!
Há, há, há!

...................................................................................


My kitten is very cute. I gave him the name of Mickey because I love that name.
He is very mischievous. When the kitchen door is open, it goes and if there is not anybody, he jumps above the stove, where my mother keeps his food. And he starts to eat.
Sometimes it comes through the window, and puts it into my wardrobe.
And then he starts to rummage through the box of socks.
But I also liked to have a cat and a horse.
Well, you cannot have everything!
Ah, ah, ah!

Marta Cerqueira – “O meu gatinho” – EB1 do Lamaceiro - 2012

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O Marcador e o Livro

Era uma vez um marcador que andava muito contente a passear.
Um dia encontrou um livro muito triste e perguntou:
- O que é que tu tens?
O livro respondeu:
- Eu estou triste porque sou branco. E gostava de ser colorido.
Então o marcador disse:
-Eu vou-te ajudar. Eu posso pintar lindos desenhos nas tuas folhas brancas.
-Está bem. Mas tem cuidado.
Mas apareceu o Destrói Tudo e rasgou as folhas todas do livro e tirou a tampa do marcador. E sem tampa a tinta do marcador começou logo a secar.
O livro disse:
- Eu sei quem nos pode ajudar.
- Então vamos – disse o marcador.
Chegaram a casa do senhor Miguel Compõe Tudo e disseram:
- Precisamos de ajuda. Um rapaz destruiu-me as folhas a mim e ao meu amigo tirou-lhe  a tampa. E agora a tinta está a secar.
O senhor Miguel Compõe Tudo pôs folhas novas no livro e encheu o marcador de tinta e ofereceu-lhe uma tampa nova.
E assim continuaram o marcador e o livro a viver felizes.

...........................................................................................................


The marker and the book

Once upon a time there was a marker that walked very happy to walk around. One day he found a book very sad and asked:
"What is the matter with you?
The book said:
- I am sad because I am white. And I would like to be colored.
Then the marker said:
-I will help you.  I can paint beautiful drawings in your white sheets.
 -This is very good. But you must be careful!
But it appeared that destroys everything and tore all sheets of the book and took the lid of the marker. And cap less ink marker soon began to dry. The book said:
- I know who can help us.
- Then let´s go - said the marker.
They reached the house of Mr. Miguel composes all and said:
-We need help. A boy destroys my sheets and my friend took his cap. And now the ink is drying.
Mr. Miguel composes all put new sheets in the book and filled the ink marker and offered him a new cover. And so the marker and the book continued to live happily.

Marta Cerqueira - "O Marcador e o Livro" - (EB1 do Lamaceiro - 2012)

A Princesa Alice


Era uma vez uma princesa que estava presa numa torre. Ela adorava pintar tudo o que via e lhe ia na cabeça. Era o único entretimento que tinha na sua prisão.
Um dia, veio uma bruxa má e destruiu-lhe todo o material de pintura. Os amigos dela pediram a uma pomba branca para lhe levar um pincel mágico. Tudo o que a princesa pintasse com este pincel, tornava-se realidade. A princesa desenhou uma porta grande e descobriu que dava passagem para o jardim onde estavam os seus amigos. Muito feliz a princesa pintou também um reino fantástico e entraram todos nele.
Nesse reino fantástico, a princesa encontrou um príncipe muito bonito. Apaixonaram-se e casaram.
Tiveram muito filhinhos e viveram felizes para sempre.

Marta Cerqueira - "A Princesa Alice" ( EB1 do Lamaceiro - 2012)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O Pássaro e o Gato



Certo dia, logo pela manhãzinha, apareceu na janela do meu quarto um bonito e colorido passarinho.
Dei-lhe logo o nome de  Quico Cantador porque  o seu canto era fabuloso.
Fui logo pedir á mãe para  o adotar.
Mas  um dia o meu gato, com ciúmes, pôs-se a espiar o Quico  Cantador para o comer.
Mas a esperteza  do gato não foi suficiente para apanhar o Quico, pois ele também era muito esperto.
Um dia o cão da vizinha que era muto mau e feroz, soltou-se e vinha direitinho ao caminho do gato para lhe saltar. Mas o Quico, de cima da gaiola, avistou o cão enfurecido e avisou o gato.
A  partir desse dia, o gato e o Quico Cantador  ficaram grandes amigos e protegiam-se um ao outro.

Beatriz Pinheiro - " O Passarinho e o Gato" - (EB1 do lamaceiro - 2012)

The Bird and the Cat
One day early in the dawn, appeared in the window of my room a beautiful and colorful bird. I gave him just the name of Quico the singer because his singing was fabulous. I was just asked the mother to adopt him. But one day my cat, with jealousy, began to spy on Quico the singer to eat him. But the cat was not clever enough to catch the Quico because he was also very smart.
One day the neighbor´s dog that was very wicked and fierce, gave up and came straight to the path of his cat to jump up him. But Quico, on top of the cage, he saw the dog angry and warned the cat. From that day, the cat and Quico the singer were great friends and protected against each other.
author: Beatriz Pinheiro

A Princesa e o Príncipe


Era uma vez uma princesa que vivia muito triste porque não tinha com quem casar. Um dia foi passear pela floresta montada no seu cavalo.
Encontrou lá um príncipe muito bonito. a princesa apaixonou-se logo pelo príncipe. e o príncipe assim que olhou a princesa nos olhos, apaixonou-se também. montaram os dois no cavalo da princesa e fartaram-se de cavalgar passeando pela floresta. Depois foram para casa da princesa. a princesa apresentou o príncipe aos pais. e os pais gostaram muito dele.
E os dois juntinhos viveram felizes para sempre sem nunca se divorciarem.

Viviana Torres - "A Princesa e o Príncipe" - (EB1 do Lamaceiro - 2012)

A Gatinha

Era uma vez uma gatinha.
Um dia um lobo andava à procura de comida e encontrou a gatinha. O lobo disse que a ia comer. Então, a gatinha, aflita mas esperta, disse que tinha comido um peixe envenenado. Agora estava ela também envenenada. O lobo que não queria morrer envenenado, fugiu a sete pés e já não quis saber de comer gatinha nenhuma.
A gatinha ficou a rir.
E assim se livrou de ser comida!

Leonor Pinto - "A gatinha" - (EB1 do Lamaceiro - 2012)

Amor

                                                                                   

Era uma vez uma princesa chamada Lara. Ela gostava muito da sua mãe. Mas um dia  a mãe morreu. O seu pai arranjou outra para não ficar sozinho. Mas esta mãe era muito invejosa e má. A princesa ficava muito triste. Um dia até fugiu de casa. Andou, andou até que foi parar à floresta do Amor. E só chorava, só chorava. Aí encontrou um príncipe. O príncipe perguntou-lhe porque chorava . Ela respondeu que estava a chorar porque a sua madrasta  não gostava dela e era muito má e invejosa. O príncipe olhou para a princesa, e perguntou:
-Queres casar comigo?
A princesa aceitou.
Deram um longo beijo. E casaram-se, partiram para um reino maravilhoso e foram felizes para sempre.

Inês Gomes "Amor" (EB1 do Lamaceiro - 2012)

O Bobi

O Bobi



Eu tinha um cão chamado Bobi. Um dia eu estava a brincar e o Bobi fugiu da casota. Os meus tios foram atrás dele. O Bobi, na sua correria louca, caiu de uma borda abaixo. Os meus tios tanto procuraram que acabaram por encontrá-lo. E o Bobi lá voltou feliz para a sua casota.

Rui Silveira  - "O Bobi" (EB1 do Lamaceiro - 2012)

O Meu Pónei

                                                                     


O meu pónei chama-se Gatupe.
Ele é muito meiguinho e fiel. Quando nós o vamos montar, ele fica todo contente.
O Gatupe é muto cuidadoso connosco.
O meu pónei gosta muito de crianças. E as crianças também gostam muito dele.
Com o decorrer dos anos, ele vai ficar cada vez mais velho. E vai acabar por morrer. Quando isso acontecer, vou ficar muito triste porque ele é o melhor pónei do mundo.

Óscar Magalhães - O Meu Pónei" - (EB1 do Lamaceiro - 2012)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Meu Professor

O meu professor




O meu professor chama-se Domingos Correia.
Ele é muito meiguinho. Quando nos dói a barriga diz sempre:
- Dor, dorzinha, sai já dessa barriguinha senão levas uma latadinha!
E quando acaba isto, as crianças sentem-se melhor. Parece um mágico!
Ele também é muito cuidadoso.
O professor gosta muito de nós. E nós também gostamos muito dele.
Para o ano seguinte vai ser uma chatice porque vamos ter que sair desta escola. E talvez o professor vai estar noutra sala. Se isso acontecer, vou ficar muito triste porque ele é o melhor professor do mundo e também é o professor mais meigo do mundo.
Viva o professor Domingos!

Leonor Pinto (EB1 do Lamaceiro - 2012)

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A Caixa Mistério


A Caixa Mágica





Na minha escola havia uma caixa mistério. Era uma caixa fechada de cor amarela com um sapato por fora. Era um mistério descobrir o que havia nessa caixa! Todos os meninos tentavam adivinhar o que teria lá dentro. A Lara dizia que era um livro mágico, a Inês dizia que era um anão mágico, a Flávia dizia que era um Pai Natal e muitos mais  meninos davam os seus palpites. Até que chegou o grande dia, de abrir a caixa mistério. O Luís  tirou o laço e a Viviana abriu a caixa e vimos que estava lá um ovo de ouro! Afinal, quem tinha razão era o Bruno.
Passados uns dias, vimos que dentro  do ovo estava um passarinho. O nosso professor Domingos pegou nele, libertou-o para o ar, dizendo aos meninos que os passarinhos  tinham direito à sua liberdade. Ficamos todos muito felizes, por ver o passarinho livre e a voar.
                                                                          Lara Teixeira (EB1 do Lamaceiro - 2012)